Saturday, 15 August 2009

Chororô



Sempre soube que provavelmente eu seria muito feliz quando virasse mãe, mas o tamanho da felicidade me surpreendeu. Outra surpresa foi o quanto eu choro como mãe. Impressionante!

Quem me conhece sabe que nunca precisou de muito para abrir a torneirinha aqui. Sempre fui daquelas manteigas derretidas que choram em filme, já chorei em frente de chefe quando me senti injustiçada, em casamento... Enfim, tenho uma lista imensa de episódios vexaminosos em que não consegui me segurar e acabei caindo no choro.
Mas desde o momento em que a Mila chegou ao mundo, a coisa conseguiu ficar pior!

Começou quando vi aquela coisinha linda pela primeira vez. Caí num choro descontrolado de felicidade. E toda vez que lembro daquela cena, meus olhos se enchem de lágrimas... Depois, veio um choro atrás do outro com as coisas fofas que a Mila foi fazendo, como sorrir discretamente pela primeira vez enquanto mamava, se esparramar no colo de olhinhos fechados depois de mamar, completamente capotada, estatelar com qualquer barulhinho, "conversar" comigo pela primeira vez, e assim foi. Até que veio a primeira gargalhada. No começo, ri junto. E poucos segundos depois, já estava eu rindo com a cara encharcada de lágrimas!
(Temos a cena registrada em vídeo, assim que eu editar, coloco aqui!)

E quem pensa que é só a Mila que me faz chorar, se engana. Fiquei mais mole com tudo! Ontem estava vendo a final do "America's Got Talent" e chorei quando anunciaram o vencedor (também, o gordinho cantor de ópera era muito emotivo e conquistava qualquer um!). Vejo os comerciais de grupos beneficentes para cuidar de animais abandonados ou de crianças maltratadas em casa e lá estão os olhos marejados novamente.

Até agora achei que eram os hormônios, que desde a gravidez ainda estavam enlouquecidos. Mas parece que agora é a hora em que eles voltam ao normal. Vamos ver se sigo me derretendo com tudo...

Monday, 10 August 2009

Tagarela

Eis que a Mila resolveu abrir a boca, não só para as mamadas, e falar, gritar, gargalhar e reclamar, claro.
Cara, e como fala a pequena, faz discursos mais longos que o Hugo Chavez...

Mas é lindo, é linda e nós passamos mal!